Câmara de Ananindeua debate superação da violência no município

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Fraternidade e superação da violência é o tema da Campanha da Fraternidade desse ano, promovida pela Igreja Católica. O assunto foi tema de uma audiência pública na Câmara nessa terça (6), proposta pelo vereador Robson Barbosa (PDT). Participaram da sessão vereadores, autoridades ligadas à segurança pública, representantes religiosos, lideranças comunitárias e outros cidadãos interessados na temática.

O padre Paulo Silva, representando a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, fez uma apresentação sobre a Campanha da Fraternidade 2018, especificando seus objetivos, metodologia e enfoques. Segundo o documento base da campanha, o combate à violência exige medidas complexas e não haverá mudança a menos que as condições de exclusão que existem em nosso país sejam modificadas. “A solução precisa ser discutida no âmbito da política, pois o que vemos é a perpetuação de estruturas geradoras de violência”, pontuou. “Exclusão social ligada ao autoritarismo só gera mais violência, é preciso promover a cidadania de todas as pessoas”.

O padre Bruno Secchi, fundador do Movimento República do Emaús e referência na luta pelos direitos de crianças e adolescentes, também enfatizou o aspecto preventivo à violência, e não punitivo. “Precisamos de um mundo pautado pela justiça e não pela vingança. Nesse mundo se acha normal nossos jovens serem assassinados, sob o lema ‘Bandido bom é bandido morto’. Mas não podemos construir uma sociedade vingativa e sim justa, que recomponha a ordem quebrada, em uma perspectiva de resgate da dignidade do ser humano”, enfatizou.

A delegada Sílvia Rego, diretora de Prevenção Social e da Violência e Criminalidade da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), igualmente lembrou que o caráter repressivo é apenas uma das formas de combater a violência. “Os órgãos policiais atuam apenas nas consequências de uma sociedade doente. É preciso primeiramente evitar que o crime aconteça, que aquele jovem que deveria estar conquistando coisas boas entre na criminalidade. Se não fizermos isso, vamos apenas enxugar gelo”, disse.

Robson Barbosa, em sua fala de encerramento, explicou por que teve a iniciativa de realizar a audiência: “Esse tema foi proposto a partir da observação da realidade vivenciada no nosso município, de índices alarmantes de violência. Nós, enquanto agentes políticos, precisamos buscar essa diminuição das desigualdades e por isso saímos daqui com esse ‘dever de casa’. Como instituição, devemos fazer o nosso papel de garantir direitos a todos”, enfatizou. Como encaminhamento da audiência, Barbosa informou que será elaborada uma carta direcionada ao poder público e à sociedade com propostas de ações para a superação da violência.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Data da Matéria: 06/03/2018 21:49